E se tudo estivesse certo do jeito que está e tudo o que precisasses
fazer fosse reconhecê-lo?

Nascemos completamente indefesos, sem roupa e incapazes de tomar conta de nós. Sem ajuda, não teríamos sobrevivido mais de que algumas horas.

E no entanto, cá estamos nós, adultos e vivos. Todos os dias da nossa vida, desde o dia em que nascemos até ao dia de hoje tivemos disponível aquilo que precisamos para sobreviver – ar, água, alimento, roupa, abrigo e amor.

Não nascemos com a capacidade de tomar conta de nós, mas nascemos com a capacidade de confiar. De confiar que alguém vai cuidar de nós, de confiar nessa pessoa que nos cuida, de confiar na comida que nos dão.

Em bebés e crianças fomos capazes de sobreviver somente porque fomos capazes de confiar. Na pessoa que cuidou de nós, que sempre nos deu comida quando tivemos fome. Confiamos na ordem do Universo, que sempre trouxe o Sol depois de cada noite. Confiamos na Terra, que sempre nos deu sustento, confiamos no Ar, que sempre nos encheu os pulmões, confiamos no Fogo, que sempre nos aqueceu e na Água,que sempre tivemos para beber.

Podemos ter sentido medo, ter apanhado sustos, experienciado ansiedade e dúvida, ou mesmo em algum momento, ter sido vítimas do mais horroroso ataque de pânico. Mas sempre, até hoje, tudo se resolveu.

Continuamos vivos. Hoje temos a Terra debaixo dos pés. Hoje temos Ar à nossa volta. Hoje o Sol sobe no horizonte. Hoje temos comida para comer e um abrigo para passar a noite. Hoje estamos rodeados de pessoas que nos amam. E tudo isto acontece para nós!

Em bebés e crianças sabíamos isso. E éramos capazes de confiar, naturalmente e sem esforço. Quando crescemos fomos perdendo contacto com essa capacidade de confiar. De alguma forma desenvolvemos, como adultos, uma paranóia do controlo. Funcionamos como se tudo dependesse de nós. E a perspectiva de lidar com coisas ou situações que não controlamos parece-nos assustadora.

Acreditamos que, se pararmos de fazer o que temos feito até agora, alguma coisa horrível, se bem que indefinida, vai acontecer. Talvez não vá ter comida para comer. Talvez não vá ter ar para respirar. Ou ninguém mais vai gostar de mim. Ou talvez o próprio Universo pare também, se eu parar. Se me permitir, novamente, confiar. Alguns de nós carregam literalmente o Mundo às suas costas.

Este modo de estar no Mundo cria em nós uma tensão física e mental tal, que nos impede de ver as coisas com clareza. Quando desejamos muito alguma coisa ou estamos muito preocupados com algo, é natural que a mente fique agitada e envolvida em pensamentos relacionados com o que desejamos ou nos preocupa.

Surgem pensamentos sobre o que podemos fazer para conseguir o que queremos, sobre o que pode correr mal, sobre o que acontecerá depois, sobre todas as vezes em que desejamos algo e o nosso desejo foi contrariado, sobre a frustração e a raiva que sentimos quando isso aconteceu, sobre o medo que se manifesta agora de que essas situações se repitam, …

Toda esta agitação e crispação mental estreita o nosso campo de visão e afasta-nos do momento presente. Às vezes é esta agitação a única coisa que nos impede de ver com clareza e objectividade aquilo que realmente podemos fazer AGORA para tornar real o que desejamos, ou para evitar o que receamos.

O que fazemos, ao praticar meditação, é substituir o hábito do controlo obsessivo pelo hábito da confiança. Cultivamos uma mente e um coração mais tranquilos para que a agitação possa cessar. Desenvolvemos clareza e discernimento para que as nossas escolhas no dia a dia possam contribuir para o nosso bem estar e o bem estar de todos.

Pode não ser fácil, mas não tem que ser tão difícil quanto parece! E é um caminho que não necessitas de percorrer sozinha! Por isso criei o DESAFIO Posso Meditar Hoje. Durante 5 dias vamos aprender como a meditação pode entrar na tua vida e ajudar a fazer de 2018 o melhor ano de sempre! Se sentes um chamamento para praticar meditação e aspiras a desenvolver uma mente menos obcecada com o controlo e um coração mais capaz de confiar, este é o teu DESAFIO!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *